Return

JORNADAS EUROPEIAS DE ARQUEOLOGIA 2023

MUSEU DO PORTO

_AAF2096

Nos dias 16, 17 e 18 JUN celebramos as Jornadas Europeias de Arqueologia, uma iniciativa que reúne mais de quatro dezenas de países na Europa.

16 JUN

Oficina — Marcas, histórias e gestos

10H30 | Reservatório — Parque da Pasteleira (entrada poente), Rua de Gomes Eanes de Azurara, s/n

Exploração de gestos, jogos de mímica e criação de novos registos permitirão aos participantes “criar” as suas interpretações para algumas das marcas e desenhos presentes em alguns dos objetos do Reservatório. Esta montagem de artefactos, vestígios e fragmentos encontrados em escavações ou recolhidos de edifícios e monumentos da Cidade, e que integram as coleções municipais. O espectro temporal abrangido por este conjunto de objetos vai da Época Contemporânea até ao Paleolítico, estendendo-se, assim, da História à Pré-história. Orientação: Carla Stockler.

A participação na atividade é gratuita. Para todos os públicos, incluindo famílias com crianças a partir dos 5 anos. Limite de 20 participantes. Inscrições através do endereço arqueologia@cm-porto.pt até às 17H de 15 JUN.

 

Oficina — À descoberta do castro da Penaventosa

10H30 e 14H30 (2 sessões) | Arqueossítio — Rua de D. Hugo, 5

No sítio onde estão preservados os testemunhos da ocupação humana da cidade dos últimos 2500 anos, partimos à descoberta do primitivo povoamento do Morro da Sé ou da Penaventosa. Tendo como ponto de partida os vestígios arqueológicos da Idade do Ferro, contamos a sua história através de banda desenhada e propomos a construção de miniaturas das mais antigas habitações aqui edificadas. Orientação: Laura Sousa, Paula Espírito Santo e António Almeida.

A participação na atividade é gratuita. Para todos os públicos, incluindo famílias com crianças a partir dos 5 anos. Limite de 20 participantes. Inscrições através do endereço arqueologia@cm-porto.pt até às 17H de 15 JUN.

 

Deriva — Em torno do Arqueossítio de D. Hugo 5

15H | Arqueossítio — Rua de D. Hugo, 5

Nesta visita, os vestígios arqueológicos serão as pistas de uma viagem de descoberta da história do Morro da Penaventosa. Durante a viagem serão reveladas marcas escondidas desta história, desafiando os participantes a imaginar a cidade noutros tempos. Orientação: António Almeida e Manuela Ribeiro.

A participação na atividade é gratuita. Para todos os públicos, incluindo famílias com crianças a partir dos 5 anos. Limite de 20 participantes. Inscrições através do endereço arqueologia@cm-porto.pt até às 17H de 15 JUN.

 

Oficina — Mãos no barro

15H | Reservatório — Parque da Pasteleira (entrada poente), Rua de Gomes Eanes de Azurara, s/n

Nesta oficina, vamos “pôr as mãos” no barro para fazer pequenos vasos. Vamos também “pôr os olhos” nas antigas cerâmicas em exposição no Reservatório para nos inspirarmos a criar a sua forma e decoração. Orientação: Carla Stockler.

A participação na atividade é gratuita. Para todos os públicos, incluindo famílias com crianças a partir dos 5 anos. Limite de 20 participantes. Inscrições através do endereço arqueologia@cm-porto.pt até às 17H de 15 JUN.

 

Destaque — Registos de campo e práticas em arqueologia

17H | Reservatório — Parque da Pasteleira (entrada poente), Rua de Gomes Eanes de Azurara, s/n

Breves abordagens a algumas práticas de uma intervenção arqueológica com recurso a objetos e imagens do trabalho de campo. Orientação: arqueólogos do Departamento Municipal de Gestão do Património Cultural.

A participação na atividade é gratuita. Para todos os públicos. Limite de 15 participantes. Inscrições através do endereço arqueologia@cm-porto.pt até às 17H de 15 JUN.

 

Projeção ao ar livre — «TONGÓBRIGA – O Espírito do Lugar»

21H30 | Reservatório — Parque da Pasteleira (entrada poente), Rua de Gomes Eanes de Azurara, s/n

Quando os arqueólogos chegaram, em 1980, à pequena aldeia do Freixo (Marco de Canaveses), começaram a trazer de novo à luz do dia um extenso conjunto de ruínas monumentais, datadas dos tempos do Império Romano. «Tongóbriga – O Espírito do Lugar» é um documentário de ritmo intenso e dinâmico, que concilia imagens reais obtidas nas próprias ruínas, imagens virtuais produzidas em computador e recriações históricas realizadas com atores. Permite ao espectador uma associação intuitiva entre o passado e o presente dos diferentes espaços, edifícios e ruínas existentes na atual aldeia de Freixo (Marco de Canaveses), outrora chamada Tongobriga, e ilustra os principais passos da investigação histórica e arqueológica que permitem fundamentar as propostas de reconstituição histórica, apresentados numa perspetiva dinâmica e diacrónica. Comentários: António Lima.

A participação na atividade é gratuita. Para todos os públicos. Limite de 60 participantes. Inscrições através do endereço arqueologia@cm-porto.pt até às 17H de 15 JUN.

Observações: em caso de condições atmosféricas adversas a projeção será adiada para nova data a anunciar.

 

17 JUN

Deriva — Em torno do Arqueossítio de D. Hugo 5

11H e 15H (2 sessões) | Arqueossítio — Rua de D. Hugo, 5

Nesta visita, os vestígios arqueológicos serão as pistas de uma viagem de descoberta da história do Morro da Penaventosa. Durante a viagem serão reveladas marcas escondidas desta história, desafiando os participantes a imaginar a cidade noutros tempos. Orientação: António Almeida e Carla Stockler.

A participação na atividade é gratuita. Para todos os públicos. Limite de 15 participantes. Inscrições através do endereço arqueologia@cm-porto.pt até às 17H de 15 JUN.

 

Oficina — Arqueólogo por um dia

11H e 15H (2 sessões) | Reservatório — Parque da Pasteleira (entrada poente), Rua de Gomes Eanes de Azurara, s/n

Nesta oficina de Arqueologia desafiamos os participantes a experienciar, de uma forma lúdico-didática, o trabalho dos arqueólogos, através da simulação de uma escavação, limpeza e colagem de fragmentos cerâmicos. Orientação: Laura Sousa e Paula Espírito Santo.

A participação na atividade é gratuita. Para todos os públicos, especialmente famílias com crianças a partir dos 5 anos. Limite de 12 participantes. Inscrições através do endereço arqueologia@cm-porto.pt até às 17H de 15 JUN.

 

Destaque — Dois sítios arqueológicos no Reservatório

12H | Reservatório — Parque da Pasteleira (entrada poente), Rua de Gomes Eanes de Azurara, s/n

No Reservatório expõem-se conjuntos materiais de intervenções arqueológicas realizadas em vários locais da cidade e que espelham diferentes estratégias na relação do homem com o território envolvente. Sítios selecionados: Castelo da Foz (Idade Média – Idade Moderna), Arqueossítio da R. D. Hugo (Idade do Ferro – Romanização – Idade Média). Orientação: arqueólogos do Departamento Municipal de Gestão do Património Cultural.

A participação na atividade é gratuita. Para todos os públicos, especialmente famílias com crianças a partir dos 5 anos. Limite de 10 participantes. Inscrições através do endereço arqueologia@cm-porto.pt até às 17H de 15 JUN.

 

Conversa — O Lugar de Vila Nova

16H30 | Reservatório — Parque da Pasteleira (entrada poente), Rua de Gomes Eanes de Azurara, s/n

Em Aldoar, no antigo Lugar de Vila Nova, as intervenções arqueológicas têm revelado vestígios de antigas ocupações desta área da cidade, designadamente durante a Idade do Bronze (2.º Milénio AC). Nesta sessão, as equipas responsáveis pelos trabalhos (das empresas Arqueologia & Património Lda., Empatia Lda. e Era, Arqueologia SA) apresentarão o estudo que estão a desenvolver, oferecendo a oportunidade de manusear artefactos com mais de 4000 anos.

A participação na atividade é gratuita. Para todos os públicos. Limite de 30 participantes. Inscrições através do endereço arqueologia@cm-porto.pt até às 17H de 15 JUN.

 

Música — Jazz no Reservatório

18H | Reservatório — Parque da Pasteleira (entrada poente), Rua de Gomes Eanes de Azurara, s/n

MANÉ FERNANDES «nO_tHing:here» Quarteto devoto à improvisação que tem o uso do tempo como premissa. Música sem músicos. Swing em espiral, groove, matéria-prima para moldar coisa nenhuma. Mané Fernandes (Guitarra e composição), Miguel Meirinhos (Piano e composição), Demian Cabaud (Contrabaixo e composição), Marcos Cavaleiro (Bateria e composição). Mais informações.

18 JUN

Visitas livres — 10H—17H

Arqueossítio — Rua de D. Hugo, 5

Reservatório — Parque da Pasteleira (entrada poente), Rua de Gomes Eanes de Azurara, s/n

Acesso gratuito.

 

Música — Jazz no Reservatório

18H | Reservatório — Parque da Pasteleira (entrada poente), Rua de Gomes Eanes de Azurara, s/n

SUL Trio composto por Luís Figueiredo no piano, Bernardo Moreira no contrabaixo e Bernardo Couto na guitarra portuguesa. O «SUL» interpreta uma seleção de música feita em Portugal, incluindo fados, composições de jazz e canções tradicionais. O projeto dá destaque a alguns dos compositores mais proeminentes em Portugal, tais como Carlos Paredes, Zeca Afonso, Mário Laginha, João Paulo Esteves da Silva, havendo também lugar para temas da autoria dos músicos que compõem este trio. Mais informações.