Return

Os poemas de Eugénio de Andrade embarcam no Metro do Porto

materiais_eugenio_andrade_facebook_post

Os poemas viajam de metro no Dia Mundial da Poesia, 21 de março. As estações e composições do Metro do Porto vão acolher leituras públicas da obra de Eugénio de Andrade.

 

A iniciativa Poesia Andante, desenhada pelo Museu e Bibliotecas do Porto no quadro das comemorações do centenário do nascimento de Eugénio de Andrade, vai levar os poemas ao encontro dos passageiros do metro.

 

Nesta forma mais livre e próxima de celebrar no quotidiano, na voz alta humana e quase epidérmica, o centenário de Eugénio de Andrade, os poemas escolhidos para os recitais vão ter eco do local onde a leitura será feita, onde Eugénio viveu.

 

As leituras decorrem em dois períodos (de manhã entre as 11H e as 12H30, e à tarde das 14H30 às 16H), e vão contar com a interpretação da Exemplo Extremo, nas vozes de Francisca Bartilotti, Isaque Ferreira, Ismael Calliano, Rui de Noronha Ozorio, Rui Spranger e Sandra Salomé.

 

Poesia Andante regressa no fim de semana de 25 e 26 de março, nos mesmos horários.

 

Programa das sessões

  • 21 de março

Manhã estações Trindade e 24 de Agosto. Tarde estações Bolhão e Marquês.

  • 25 de março

Manhã estações Trindade e S. Bento. Tarde estações Bolhão e Casa da Música.

  • 26 de março

Manhã estações Trindade e Aliados. Tarde estações Casa da Música e Trindade.

 

Também no Dia Mundial da Poesia, 21 de março, o Museu e Bibliotecas do Porto promove a primeira sessão de A poesia na música e a música na poesia de Eugénio de Andrade. Na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, às 21H30, Sofia Lourenço (piano) e António Durães (dizedor) interpretam poemas de Eugénio de Andrade versando compositores e temas musicais. A entrada é gratuita, limitada à lotação do auditório.

 

Estas duas atividades integram a programação paralela da exposição Eugénio de Andrade, A Arte dos Versos, com curadoria de Jorge Sobrado e Rita Roque, patente no Gabinete Gráfico do Museu do Porto até ao dia 23 de abril.