Voltar

Apresentação da Biblioteca Digital Eugénio de Andrade

FUTURA CASA DA POESIA EUGÉNIO DE ANDRADE

Os espólios do poeta Eugénio de Andrade na posse dos municípios do Fundão e Porto, são disponibilizados numa plataforma digital própria a partir desta sexta-feira. A apresentação acontece na casa onde o autor viveu no Porto, futuro polo da Biblioteca Errante enquanto Casa da Poesia Eugénio de Andrade. Com o lançamento da Biblioteca Digital Eugénio de Andrade, são agora seis os núcleos do projeto Biblioteca Errante.

 

O ano de 2023 celebrou o primeiro centenário do nascimento do poeta Eugénio de Andrade, nascido a 19 de janeiro de 1923 em Póvoa de Atalaia, no concelho do Fundão. O programa comemorativo da efeméride culminou com a assinatura do Contrato Interadministrativo de Cooperação entre os municípios do Porto e do Fundão para o desenvolvimento de ações conjuntas no âmbito do centenário do poeta e para a criação da Biblioteca Digital Eugénio de Andrade. Os dois municípios juntaram os espólios do poeta que, depois de tratados, são agora disponibilizados numa plataforma digital que soma mais de 400 entradas, entre poemas, datiloescritos, manuscritos, fotografias, postais, livros, desenhos, documentos e objetos da coleção pessoal do poeta. As coleções estão acessíveis para navegação através do desenho da exposição “Eugénio de Andrade: A Arte dos Versos”, com curadoria de Jorge Sobrado e Rita Roque, que esteve patente nas duas cidades, da cronologia do autor e da natureza dos objetos.

 

Sob coordenação do Museu e Bibliotecas do Porto, a Biblioteca Digital Eugénio de Andrade pretende ser mais um passo na democratização do campo de conhecimento em torno do poeta, defendendo e valorizando a vida e obra do autor das «As Mãos e os Frutos».

 

O lançamento da Biblioteca Digital Eugénio de Andrade está integrado nas comemorações do centenário do autor pelo Museu e Bibliotecas do Porto e no vasto programa que apresentou nos últimos 12 meses: duas exposições, ciclos de conversas, de leituras, de música, bem como outras manifestações de mediação que envolveram mais de 50 criadores, pensadores e autores.

 

Eugénio de Andrade, pseudónimo de José Fontinhas, cuja atividade criativa da obra poética nos acompanha há mais de 50 anos, conta com tradução para inúmeras línguas e vários prémios atribuídos. Morreu a 13 de junho de 2005 no Porto, cidade que o acolheu em mais de metade da vida.

 

ENDEREÇO

Rua do Passeio Alegre, 584